Você conhece os principais tipos de ordem para operar na bolsa?

ordem-bolsa

Se você começou a investir no mercado de ações, já deve ter visto que existem diferentes tipos de ordem disponíveis para a compra e venda de ativos negociados na bolsa de valores. Dependendo do seu perfil de investidor, uma determinada ordem poderá fazer parte do seu dia a dia com mais frequência.

Pensando justamente nessa variedade, separamos as 7 principais opções para operar na bolsa. Se você deseja ter mais conhecimento sobre o assunto, continue a leitura!

7 principais tipos de ordem para operação na bolsa

Conhecer os tipos de ordem para operar na bolsa é o primeiro passo para ter sucesso com os seus investimentos. Confira os principais modelos a seguir!

1. Ordem limitada

Como o próprio nome diz, a ordem limitada estabelece uma linha limite de investimento, sendo que a compra é executada apenas quando o valor da ação atinge o preço igual ou menor que o predeterminado. A ideia é ter um controle maior sobre os preços de execução.

Geralmente, esse tipo de ordem é utilizado por operadores do módulo Swing Trade, que preferem esperar para comprar um ativo por um preço menor que o valor de mercado ou vender por um valor maior.

No entanto, é preciso ter atenção à data de validade de ordem. Afinal, não há garantia de que o ativo será executado, visto que ele pode não atingir limite ou podem existir ordens de investidores pelo mesmo preço, mas que foram feitas antes da sua. Suponha que um ativo esteja sendo negociado a R$ 100, e o trader coloque uma ordem de compra a R$ 95: essa ordem só será executada se o preço cair para R$ 95 ou ficar abaixo disso.

2. Ordem a mercado

A ordem a mercado é uma das opções mais comuns e também diretas quando se trata da bolsa de valores. Nesse caso, a orientação de compra e venda entra em vigor imediatamente após a ordem de compra.

Existem algumas especificidades em relação a outros tipos de ordem, como o fator ligado à quantidade e às características das ações a serem compradas ou vendidas não precisar de preço fixado ou mesmo estar vinculado a um prazo. Assim que ela for recebida, é executada, como dito, pelo preço pelo qual o ativo está sendo negociado nesse momento.

Por exemplo, imagine que você esteja acompanhando o mercado de determinado tipo de ação e ele esteja a um preço de R$ 150 com a possibilidade de aumentar para R$ 175. Se você opta por uma ordem a mercado, a compra vai ser executada a R$ 150, que é o preço atual.

3. Ordem stop loss

Como a própria tradução livre diz, o stop loss significa parar de perder. No mercado de ações, a ordem de stop loss evita que o investidor tenha prejuízos muito grandes quando um ativo perde valor de mercado.

Isso, porque você executa uma ordem de stop loss em um preço abaixo do atual que está sendo praticado pelo mercado. Portanto, se a ação cair a essa faixa de preço, tal ordem passa a ser de mercado, e o corretor vende a ação. Caso o ativo continue no mesmo nível ou suba de valor, a ordem não executa nenhuma ação.

Seria algo como: você comprou uma ação por R$ 100, mas estabelece uma ordem de stop loss a R$ 95. Caso a ação fique abaixo de R$ 95, a ordem é executada e o ativo é vendido, criando uma segurança nos investimentos.

4. Ordem stop móvel

A ordem stop móvel difere um pouco da stop loss justamente por não exigir que o investidor faça ajustes sem parar. Ou seja, ela acontece de maneira automática, independentemente de você estar presente ou não. O seu funcionamento é determinado com uma posição de mercado aberta, o que quer dizer que o valor é alterado conforme a ordem movimenta em favor da posição do investidor.

A maneira mais fácil de compreendê-la é pela definição do preço de disparo e do preço-limite de um ativo, o que define a sua função móvel, bem como o ajuste que o ativo sofrerá. Logo, se o valor do ativo atingir o preço de disparo, a sua venda será feita pelo preço-limite.

5. Ordem casada

A ordem casada é aquela composta por ordens de compra e venda, sendo a sua execução permitida apenas quando feita integralmente ou simultaneamente. Tal ação é comum em situações em que a prática de troca de posições do investidor costuma ser frequente.

Vale lembrar que o investidor pode determinar qual das operações será executada em primeiro lugar, mas, para isso, a outra ordem terá que ser executada logo em seguida. De maneira simples, seria algo como a compra de um ativo por R$ 100 e a venda dele por R$ 110.

6. Ordem start

Diferentemente da ordem de stop loss, que determina um limite para a perda, a start tem como regra enviar a ordem de compra quando o valor da ação atingir um preço igual ou maior do que o preço de disparo, programado pelo próprio investidor.

Por exemplo, suponha que uma ação esteja com um valor de R$ 50, e você estabelece uma ordem start com disparo a R$ 55 e preço-limite de R$ 60. Se a ação subir para R$ 55, a compra será efetuada até R$ 60.

O benefício de ter uma ordem start é que, se o valor da ação continuar caindo, a sua ordem não terá sido enviada, inclusive, será possível cancelar a ordem e fazer uma nova oferta até que a reversão desse preço aconteça.

7. Ordem discricionária

A ordem discricionária é um pouco diferente das outras, pois, para que seja executada, não exige consulta ao investidor. Nesse caso, um profissional qualificado e designado pelo investidor faz a administração da carteira de ações, bem como o lançamento de ordens de negociação na bolsa de valores.

O administrador pode ser uma pessoa tanto física quanto jurídica. Vale lembrar que ele também é o responsável por definir as condições para a execução da ordem. Para isso, ele precisa definir algumas informações especificando nome do investidor ou investidores, quantidade de títulos para cada um deles e o preço negociado na transação.

Algumas corretoras colocam os nomes ligeiramente distintos nos tipos de ordem, mas o conceito delas é o mesmo. Vale lembrar que algumas são mais usadas, como é o caso das ordens a mercado e de stop loss. No entanto, saiba que você poderá vivenciar situações em que as outras estarão presentes, e tal conhecimento será fundamental para ter mais sucesso com os seus investimentos.

Se ficou com alguma dúvida sobre os tipos de ordem ou quer compartilhar as suas impressões conosco, deixe o seu comentário!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin