Entenda o Stop Loss e o Stop Gain

Stop-Loss-Stop-Gain

O mercado de ações nem sempre opera conforme esperamos e isso se deve à oscilação decorrente dos ativos, bem como fatores políticos e econômicos tanto internos quanto externos. Portanto, é crucial que o investidor tenha uma proteção, a fim de evitar perdas. Para isso, são utilizadas duas ferramentas chamadas Stop Loss e Stop Gain.

Neste artigo, você conhecerá como tais recursos funcionam na prática, bem como a sua importância e o momento certo de acioná-los. Continue a leitura e descubra como aproveitar desses aliados na hora de investir!

O que é Stop Loss?

Em tradução livre, a expressão Stop Loss significa parar perda. O termo é bastante utilizado no mercado financeiro para designar a ação de investidores quando eles demandam uma ordem automática de venda, caso o ativo que estiver caindo atinja um ponto predefinido como mínimo.

A ordem limite Stop Loss não impedirá que você tenha algumas perdas, mas ela fará com que o domínio sobre as situações seja maior. Ou seja, não estar despreparado para as oscilações que costumam acontecer no mercado de ações.

De modo geral, o Stop Loss é o limite da perda, que garantirá que você não perca o montante investido, caso o cenário pretendido não se concretize. Vale lembrar que, quando tratamos sobre a renda variável, não temos como saber de maneira antecipada o resultado de uma operação, afinal, trata-se de algo que pode mudar de um dia para o outro.

Qual a definição de Stop Gain?

Por outro lado, temos o chamado Stop Gain que significa parar ganho. A expressão designa uma ferramenta usada pelos investidores com a ideia de encerrar uma determinada operação que está sendo lucrativa.

Geralmente, as pessoas que operam ativos de ganhos de curto e médio prazos são as que mais utilizam o Stop Gain. Isso porque eles conseguem delimitar os ganhos e garantir a proteção destes.

A partir do momento que o investidor faz uma análise apurada sobre o valor que o ativo pode atingir, ele determina seu Stop Gain para não correr riscos. Logo, quando o valor da ação atinge o esperado, é disparada a ordem de venda. A seguir explicaremos melhor como funcionam ambos os processos.

Como Stop Loss e Stop Gain funcionam na prática?

Começando pelo Stop Loss, ele funciona da seguinte maneira: a partir do momento que a ordem de compra é lançada no Home Broker, é possível determinar o máximo de perda que está disposto a correr. Por exemplo, suponha que você compre ações de uma empresa cuja cotação seja R$ 15, acreditando que elas subirão e proporcionarão uma boa lucratividade.

No entanto, o que acontece é que o preço começa a cair, tendo um prejuízo de 5%, ou seja, ela vai a R$ 14,25. Seria um prejuízo, se você não tivesse colocado um limite de perda de 3% ao limite de R$ 14,55 para a comercialização do seu ativo. Quando a proteção é estabelecida e as ações começam a cair, a intervenção de venda é acionada.

Só para se ter uma ideia, se você tivesse investido R$ 15.000, a limitação do prejuízo teria ficado em R$ 450 e não teria perdido R$ 750. Percebeu a diferença? E quais as vantagens disso para o investidor?

A primeira vantagem é quando o investidor não pode acompanhar o dia todo as oscilações dos ativos. Então, ele estabelece um limite de perda, o que é especialmente importante para aqueles que acabam tendo um envolvimento emocional com as ações. A princípio soa diferente, mas é fato que, para muitos, vender um ativo que teve uma queda é considerado uma questão pessoal, o que leva até mesmo a maiores perdas.

O Stop Gain, por sua vez, é o oposto do Stop Loss. Nesse caso, como dissemos, você estabelece um valor máximo que a ação deve atingir, a fim de que a ordem de venda seja liberada. Para ficar mais claro vamos conferir um exemplo. Imagine que você tenha comprado uma ação cuja cotação esteja a R$ 10. Mas você percebe que ela tem um potencial de crescimento, então, determina que assim que ela atinja o valor de R$ 12, a venda aconteça.

Claro que ela pode atingir um valor maior, da mesma maneira que ela pode cair. Logo, o Stop Gain o ajudará a garantir um montante favorável segundo o estabelecido. As vantagens são as mesmas do Stop Loss, visto que ambos determinam uma margem limite, seja para mais ou para menos, trabalhando o controle emocional na hora de investir.

Qual o momento ideal para acionar o Stop Loss e o Stop Gain?

O momento ideal para acionar tanto o Stop Loss quanto o Stop Gain deve ser precedido pelo critério de definição de um percentual do seu investimento inicial que você está disposto a perder. É preciso considerar os riscos que podem acontecer caso a Bolsa de Valores oscile para mais ou para menos.

Um erro comum é o desconhecimento sobre o momento certo para a execução das ordens. É comum encontrar casos de investidores que não obtiveram o sucesso desejado ao executar ordens de Stop Loss e Stop Gain, justamente por problemas na programação dos horários.

Tais ordens precisam estar programadas para serem inseridas durante o pregão da Bolsa de Valores. Ou seja, isso não deve acontecer quando a Bolsa não estiver em funcionamento, isso porque é bem provável que a ordem será invalidada e a limitação da perda ou do ganho não será feita.

No entanto, é importante ressaltar que isso não o livrará dos riscos e os mecanismos não o impedirão de ter perdas. Mas, como mostrado, é possível fazer a programação a fim de controlar prejuízos de diversas ordens, quando eles aparecerem.

O Stop Loss e o Stop Gain são aliados na hora de investir, principalmente se os ativos que estão sendo operados, independentemente de serem ações ou mercado futuro, têm um alto volume de negociações e volatilidade alta, sendo complexo o acompanhamento dos preços e a descoberta do melhor ponto. Nesse sentido, contar com o apoio de uma corretora confiável é uma alternativa que evitará dores de cabeça com relação ao ponto de perda ou de ganho ideal.

Quer saber mais sobre como a CM Capital pode auxiliá-lo nesse processo? Então entre em contato conosco agora mesmo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin