Índice IPCA: entenda o que é e como afeta seus investimentos

Índice IPCA

Ao fazer investimentos, é importante entender quais são os indexadores utilizados e como eles afetam as suas aplicações. Um dos mais importantes é o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), um indicador econômico que afeta todo o mercado e por consequência os investidores.

No entanto, o tema ainda gera muitas dúvidas e, nem sempre, as pessoas compreendem como funciona o índice IPCA e os seus impactos. Isso traz dificuldades para analisar o mercado e fazer as melhores escolhas em relação às aplicações financeiras.

Você tem interesse no assunto? Então, continue a leitura deste post e esclareça as principais dúvidas sobre o IPCA!

O que é o índice IPCA?

O IPCA é medido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sendo um indicador oficial da inflação no Brasil. Ele mede a variação no custo de vida das famílias com renda mensal entre 1 e 40 salários-mínimos que residem em regiões metropolitanas e municípios selecionados de acordo com a representatividade populacional.

É com base nessa informação que o Banco Central cria as políticas monetárias para seguir as metas de inflação, a fim de tentar mantê-la em níveis adequados. Por isso, esse é um índice que afeta toda a economia e também tem reflexos nos investimentos.

Como o IPCA é calculado?

O cálculo é feito considerando dados que são coletados entre o primeiro e o último dia de cada mês. Nele, são consideradas informações dos diversos setores, como:

  • comércio;
  • prestadores de serviço;
  • concessionárias de serviço público;
  • domicílios (valores de aluguel).

Para compor o cálculo, o IBGE consulta as despesas relacionadas às diversas categorias de consumo necessárias para o dia a dia. Veja só:

  • moradia;
  • alimentação e bebidas;
  • artigos para a casa;
  • comunicação;
  • despesas pessoais;
  • educação;
  • moradia;
  • saúde e higiene;
  • transporte;
  • vestuário.

Como funciona o histórico de variação?

É possível verificar a variação do IPCA no mês ou o total acumulado em determinados períodos. Para isso, uma ferramenta bastante útil é a calculadora do cidadão disponibilizada pelo Banco Central, que também permite a realização de cálculos para atualizar valores com diferentes índices.

No período de 12 meses englobado entre maio de 2019 até abril de 2020, por exemplo, as oscilações no índice atingiram a média de 2,4%, com variações da seguinte forma, segundo informado no site do IBGE:

  • maio: 0,13;
  • junho: 0,01;
  • julho: 0,19;
  • agosto: 0,11;
  • setembro: – 0,04;
  • outubro: 0,10;
  • novembro: 0,51;
  • dezembro: 1,15;
  • janeiro: 0,21;
  • fevereiro: 0,27;
  • março: 0,07;
  • abril: -0,31.

Como as altas e baixas do IPCA impactam os investimentos?

Todos os investimentos são afetados pela inflação já que ela afeta o poder de compra e o cenário econômico como um todo. Então, um dos objetivos de investir é sempre garantir um retorno que seja igual ou, preferencialmente, superior ao IPCA.

A ideia é que o investidor consiga, pelo menos, manter a sua capacidade de compra em longo prazo, caso contrário, o dinheiro acaba desvalorizado. Contudo, esse não é o único impacto existente: há diversas aplicações financeiras que são atreladas ao índice IPCA, aumentando os impactos que as altas e baixas trazem para os rendimentos.

Basicamente, quando o IPCA sobe, o investimento traz maior rentabilidade. Porém, em caso de baixa, as aplicações terão um retorno menor. Além disso, as variações podem ter reflexos nos negócios existentes e em outros tipos de aplicações financeiras, como os investimentos na bolsa de valores. A situação do mercado pode gerar crises e deixar algumas ações em queda, enquanto outras conseguem ganhos.

Entretanto, esse não é o único fator que traz impactos para os investimentos: a variação de outros índices, o mercado externo e outras características da economia também refletem diretamente no retorno obtido e devem ser avaliadas com atenção para uma boa gestão de sua carteira.

Dessa forma, o índice IPCA afeta os investimentos de diversas formas, mesmo quando eles não estão atrelados a esse indexador. Isso acontece, principalmente, porque ele está diretamente relacionado à inflação, que afeta a situação das pessoas e das empresas, influenciando todo o mercado.

Então, gostou deste conteúdo? Se você quer mais dicas para investir, aprenda como escolher uma opção entre os títulos do Tesouro Direto!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin