Ações em queda: o que fazer? Nós te explicamos!

ações

Um dos efeitos da pandemia causada pelo Coronavírus foi a queda da bolsa, que agitou muitos investidores. É natural que, diante desse tipo de situação, a primeira reação seja uma movimentação alarmante no valor desses ativos, o que pode levar a atitudes precipitadas e prejuízos significativos. Por isso, é preciso saber o que fazer ao enfrentar as ações em queda.

Ao comprar uma ação, você adquire uma pequena parcela de uma sociedade, assumindo suas variações positivas e negativas no mercado. Quando as ações caem, significa que um baque foi sofrido pelo negócio, envolvendo fatores internos ou externos a ele. Isso pode ser ocasionado tanto por crises políticas, quanto econômicas, bem como problemas de gestão, limitações financeiras da empresa e assim por diante.

No atual cenário, resta saber como proceder para proteger os seus investimentos em meio às ações em queda. Se você não tem ideia de como fazer isso, continue a leitura deste post e confira as dicas que listamos!

Fuja do efeito manada

Agir no calor do momento é a pior decisão a ser tomada ao enfrentar as ações em queda. Infelizmente, é muito comum que, com a baixa dos valores, uma quantidade enorme de investidores se desfaça de tudo o que tem, com medo de ter um grande prejuízo.

A consequência disso é um efeito chamado de manada, no qual as pessoas tendem a repetir o que a massa está fazendo, sem sequer saber o porquê. Sempre que você perceber esse tipo de comportamento, fuja dele!

Aguarde a volatilidade do mercado

Se você quer ganhar dinheiro no mercado de ações, precisa se preparar para resistir à volatilidade do mercado. Esse tipo de investimento envolve um risco elevado, o que significa que ele tende a passar por constantes variações. Se você apostou em uma empresa com um bom histórico, mesmo que suas ações estejam baixas, elas podem voltar a subir, compensando a oscilação no longo prazo.

Se mesmo assim a sua intenção é vender as ações em queda, seja porque você precisa do dinheiro, seja porque decidiu não continuar aplicando em um negócio, o melhor a fazer é surfar a onda do mercado, aguardar a volatilidade e vender com o mínimo de prejuízo possível.

Invista em empresas fortes

Essa é uma dica interessantíssima para quem quer evitar grandes perdas na bolsa. Empresas fortes são aquelas com estrutura e solidez suficientes para passar por eventuais crises e se fortalecerem com elas. Para descobrir quais são, você precisa avaliar o seu histórico de comportamento ao longo das últimas grandes quedas, como as de 2000, 2002 e 2008. Apesar de não eliminar completamente, isso diminui bastante os riscos.

Adote uma visão a longo prazo

Investir na bolsa de valores exige uma visão a longo prazo. Se você não tem disponibilidade para isso, é melhor rever seus planos. De certa forma, é necessário ter “sangue frio” para passar por uma crise e não sair vendendo toda a sua carteira de ações. Para evitar prejuízos, é importante ignorar as oscilações de curto prazo e avaliar como elas se estabilizam ao longo do tempo.

Quem opta por comprar e vender papéis no curto prazo acaba sofrendo um impacto maior pelas ações em queda. De modo geral, as oscilações dentro de um pequeno espaço de tempo não refletem a realidade da empresa, mas um ruído do mercado. É por isso que essa volatilidade tende a diminuir no longo prazo.

Compre ações apenas com preço descontado

Pense: as quedas podem ser uma ótima oportunidade de fazer aportes com desconto. Sim! É isso mesmo que você leu. Uma crise na bolsa pode ser uma grande chance de comprar novas ações por um preço muito atrativo, esperando que elas recuperem o seu valor com o tempo.

Claro que, para isso, você precisa fazer uma boa análise da empresa e do desempenho dela no longo prazo. Dessa forma, quando o mercado estabilizar e as ações começarem a subir novamente, seus ganhos serão ainda maiores.

Evite tentar fazer previsões

Por melhores que sejam os seus cálculos, as previsões para a bolsa nunca são 100% certas. Por isso, é importante fazer a sua parte e confiar no processo. Isso significa que você deve analisar detalhadamente o histórico das empresas para tomar as melhores decisões de compra, manter a calma e superar os momentos de queda. Esqueça as previsões, pois não há garantias na bolsa.

Diversifique seus investimentos com inteligência

Comprar ações é algo simples, tão simples quanto ter algum dinheiro sobrando e uma conta junto à corretora. Fazer bons investimentos, no entanto, exige uma diversificação inteligente da carteira. Isso significa variar os papéis provenientes de diferentes setores, com riscos distintos e diversas fontes de receitas. Essa estratégia é o que vai assegurar uma variação menor em tempos de crise, então estude essa possibilidade.

Entregue e confie

Parece um conselho espiritual, mas aplica-se perfeitamente ao mercado de ações. Se você fez uma boa análise das empresas nas quais investiu e acredita que elas podem continuar sendo atrativas no longo prazo, confie nos seus instintos e apenas espere a queda passar. Nem sempre você precisa tomar alguma atitude decisiva, como vender ou comprar papéis.

Sua função, nesse caso, é acompanhar o que está acontecendo, tanto com o mercado quanto com as empresas nas quais você investiu, de forma a se certificar de que continuar com ela é realmente a melhor decisão. Ao deixar a afobação de lado, é possível abrir mão do sofrimento e do desgaste que a crise causa.

Vender as ações é uma reação muito frequente em épocas de volatilidade, mas é importante repassar todos os motivos que levaram você a escolher investir em determinada empresa, além de avaliar a forma como ela está reagindo ao que acontece com o mercado. Agir pela emoção nem sempre é a melhor saída.

Empresas consolidadas tendem a passar por esse tipo de situação e se fortalecer, ou seja, encontrar meios de valorizar novamente o seu capital. Outras, no entanto, por não estarem preparadas, acabam afundando de vez. É interessante, portanto, entender o histórico e o comportamento delas em outros momentos de crise.

É importante identificar se a empresa está enfrentando um problema real, interno ou com o mercado, ou se é apenas uma oscilação pontual no valor da ação. Se for um problema com o negócio, continuar com o ativo pode acabar significando perdas ainda maiores no futuro. Se for algo isolado, pode ser uma oportunidade para você adquirir ainda mais ações.

Não existe outra forma de identificar esse padrão que não uma análise detalhada da empresa. Se você acredita que ela tem potencial de valorização, é importante manter os seus investimentos e talvez até aproveitar as ações em queda para ampliar suas aplicações.

O que você achou das nossas dicas? Conte nos comentários qual tem sido a sua estratégia para superar as ações em queda!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin